Sobre sabão e ciência

Naíla Barbosa da Costa
4 min readJan 7, 2016

--

Químicos de plantão já estão carecas de saber que misturar gordura com alguma substância inorgânica de forte caráter básico resulta num dos itens mais utilizados desde a antiguidade: o sabão.

Só que entre a teoria e a prática costuma sempre existir uma grande distância.

É possível que muita gente saiba alguma receita de sabão sem nunca ter se dado conta de que estão trabalhando ali com uma reação química complexa, envolvendo uma substância orgânica e outra inorgânica.

Uma reação que resulta nessa coisa mágica que usamos pra retirar a sujeira que impregna os objetos e o nosso corpo como óleo, sempre com auxílio de água, uma substância que… Opa! Não se mistura perfeitamente com óleo!

A questão é que enquanto a água é polar e só se mistura com outras substâncias polares (como álcool), e a gordura é apolar, por isso só se mistura com outras coisas apolares, o sabão é diferente, ele é bipolar!

Desculpem-me, químicos, não poderia perder a piadinha.

O sabão é uma substância de caráter híbrido, ou seja, possui uma parte apolar que vai se misturar com a gordura que queremos limpar e outra parte polar que se mistura à água usada para enxaguar tanto a sujeira quanto o sabão.

E ele não é assim (híbrido ou “bipolar”) magicamente, como eu mencionei ali em cima.

Ciência parece mágica, muitas vezes, mas os seus truques são claros, ou ao menos é isso o que os cientistas tentam fazer sempre: desvendar os truques da natureza.

E o “truque do sabão” é justamente ser resultado de uma substância que se mistura com gordura (a própria gordura) e outra que se mistura com água (uma base inorgânica como a soda cáustica, por exemplo).

Nessa hora vale a pena repetir o já clicherizado jargão de Lavoisier: Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

Preparados para ver a linda reação de saponificação na prática?

Calma, não vou colocar nenhuma fórmula aqui, quem tiver curiosidade pode consultar neste link da Wikipedia.

Quero mesmo é deixar registrada aqui a minha experiência aproveitando o óleo de cozinha usado e transformando-o no sabão que uso pra lavar louça (suja de óleo de cozinha usado, inclusive) e roupas (sujas de qualquer coisa mesmo).

Vamos lá! Ainda não tenho fotos do processo mas assim que eu tiver atualizo o post para mostrar o passo a passo.

Por enquanto vai a receita mesmo! E uma foto de como o sabão fica ao final:

Dá até pra fazer uma embalagem e dar de presente pra alguém =)

Você vai precisar de:

  • 1 litro de óleo de cozinha usado
  • 200 g de soda cáustica
  • 400 mL de água morna
  • Luvas de borracha, máscara, um balde e uma colher grande
  • Caixas Tetra Pak vazias e limpas (abertas pela lateral)

Modo de preparo: com luvas e num local aberto — de preferência tente proteger olhos e nariz, use calça comprida e blusa de manga comprida — mexa a água morna junto à soda cáustica. Lembre-se de adicionar a soda cáustica aos poucos à água já aquecida (morna, num ponto que não nos queime). Adicione as lascas de soda cáustica à água e nunca o contrário. Eu faço essa mistura no balde mais resistente daqui de casa, a água vai ficar muito quente, pense nisso antes! Não use qualque recipiente de plástico, pois pode derreter. Mexa por 5 min, ao misturar a soda cáustica na água vai ser liberado um vapor que não deve ser respirado, por isso use uma máscara para se proteger e fique contra o vento. Preparada essa mistura de água e soda cáustica (jamais toque e deixe longe de crianças, pois é altamente tóxico e corrosivo), adicione o litro de óleo e fique de 45 a 50 min mexendo.

Você vai perceber que a consistência da mistura muda conforme você mexe. Fica cada vez mais pastosa. Após mexer por 50 min, mais ou menos, despeje a mistura obtida nas forminhas de leite já limpas e abertas em uma das laterais.

Em dois dias mais ou menos o sabão já está seco o suficiente para ser desenformado e cortado. Não deixe passar muito tempo, assim que der pra desenformar faça isso e já corte. Quanto mais tempo esperar mais seco o sabão ficará e isso atrapalha na hora de cortá-lo.

Lembre que cada litro de óleo jogado na pia contamina 20 MIL litros de água limpa! Se não animar fazer o sabão, procure algum lugar que recolha óleo usado =)

Veja abaixo alguns dos danos causados pelo óleo indevidamente despejado na pia da cozinha.

Fonte da figura: http://www.biocoleta.com/novosite/impactos-ambientais-causados-pelo-oleo-usado-de-fritura/

--

--